A Repórter Brasil está sob censura judicial desde o dia 9 de outubro de 2015. Saiba mais.

Igreja denuncia trabalho escravo na Bahia

Aconteceu, nos dias 26 e 27, na cidade de Bom Jesus da Lapa (BA), o encontro de formação do "Mutirão pastoral contra o trabalho escravo", promovido pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Esse é o primeiro encontro, de uma série, que acontecerão em diferentes Regiões do Brasil, e, segundo os organizadores, o objetivo é mostrar a existência desse problema [trabalho escravo] no país e a necessária conscientização dos agentes de pastoral para se engajarem nesta campanha. Participaram do evento, representantes das dioceses de Bom Jesus da Lapa, Barreiras, Barra, Irecê e Caetité, todas da Bahia. O encontro iniciou-se com um momento de oração e a acolhida do bispo da diocese anfitriã, dom José Valmor César Teixeira. Frei Xavier Plassat, um dos assessores do encontro, ajudou o grupo na compreensão da realidade do trabalho escravo nas diferentes Regiões do Brasil. Contribuiu nesta contextualização a exibição do filme "Aprisionados por promessas", seguida de um debate entre os participantes. Por fim, o grupo analisou dados recente do trabalho escravo na Bahia, apontando para a acuidade do problema nesta Região do estado, ao mesmo tempo origem e destino para trabalhadores em busca de alternativas de subsistência. No segundo dia de atividades foi esclarecido o conceito de trabalho escravo contemporâneo, com base no Código Penal brasileiro que, sob o tipo legal do trabalho análogo ao de escravo, descreve este crime contra a dignidade e a liberdade. Foi evidenciado o sistema da escravidão moderna, um ciclo gerado por miséria, ganância e impunidade. Diante dessa compreensão, discutiu-se as possibilidades de enfrentamento do problema em termos de combate institucional e de políticas públicas, e enquanto ação da sociedade civil e da igreja. Frente à reflexão, os agentes de pastoral sugeriram várias iniciativas de informação e prevenção, no sentido de enfrentar essa problemática, com destaque à criação de uma Comissão Regional que coordenará os trabalhos de mutirão pastoral na Região de Bom Jesus da Lapa, Barreiras, Barra, Irecê e Caetité.CNBB

Aconteceu, nos dias 26 e 27, na cidade de Bom Jesus da Lapa (BA), o encontro de formação do "Mutirão pastoral contra o trabalho escravo", promovido pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Esse é o primeiro encontro, de uma série, que acontecerão em diferentes Regiões do Brasil, e, segundo os organizadores, o objetivo é mostrar a existência desse problema [trabalho escravo] no país e a necessária conscientização dos agentes de pastoral para se engajarem nesta campanha. Participaram do evento, representantes das dioceses de Bom Jesus da Lapa, Barreiras, Barra, Irecê e Caetité, todas da Bahia.

O encontro iniciou-se com um momento de oração e a acolhida do bispo da diocese anfitriã, dom José Valmor César Teixeira. Frei Xavier Plassat, um dos assessores do encontro, ajudou o grupo na compreensão da realidade do trabalho escravo nas diferentes Regiões do Brasil. Contribuiu nesta contextualização a exibição do filme "Aprisionados por promessas", seguida de um debate entre os participantes. Por fim, o grupo analisou dados recente do trabalho escravo na Bahia, apontando para a acuidade do problema nesta Região do estado, ao mesmo tempo origem e destino para trabalhadores em busca de alternativas de subsistência.

No segundo dia de atividades foi esclarecido o conceito de trabalho escravo contemporâneo, com base no Código Penal brasileiro que, sob o tipo legal do trabalho análogo ao de escravo, descreve este crime contra a dignidade e a liberdade. Foi evidenciado o sistema da escravidão moderna, um ciclo gerado por miséria, ganância e impunidade. Diante dessa compreensão, discutiu-se as possibilidades de enfrentamento do problema em termos de combate institucional e de políticas públicas, e enquanto ação da sociedade civil e da igreja.

Frente à reflexão, os agentes de pastoral sugeriram várias iniciativas de informação e prevenção, no sentido de enfrentar essa problemática, com destaque à criação de uma Comissão Regional que coordenará os trabalhos de mutirão pastoral na Região de Bom Jesus da Lapa, Barreiras, Barra, Irecê e Caetité.
CNBB


Apoie a Repórter Brasil

saiba como

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *