A Repórter Brasil está sob censura judicial desde o dia 9 de outubro de 2015. Saiba mais.

Pará tem 100 mil menores de idade trabalhando

Amanhã, dia 13 de julho, o Estatuto da Criança e Adolescente (ECA) completa 20 anos em meio a polêmicas. Para muitos o Estatuto trouxe de fato proteção e garantias para crianças e adolescentes, para outros nem tanto, mas todos concordam com a sua importância. Na prática um dos problemas sérios do dia a dia continua a ser enfrentado, mas está longe de ter uma solução: o trabalho infantil de crianças e adolescentes. Fruto do trabalho de centenas de entidades, de milhares de pessoas e de algumas políticas públicas, o trabalho infantil tem diminuído nos últimos anos, não só no Pará, mas também na região Norte e em todo o Brasil. Mesmo assim, o número de crianças e adolescentes que ainda estão trabalhando, muitas das vezes sem nenhum tipo de remuneração ainda é muito grande. Mesmo com o ECA em vigor, vários fatores têm contribuído para que muitas crianças continuem ocupadas em vez de estarem estudando, entre eles a falta de emprego para os pais e a baixa remuneração das famílias que detêm menores. No caso do Pará e de toda a região Norte, além da questão do emprego, outro agravante que chama atenção, é o baixo rendimento das famílias que detém crianças com idade até 14 anos. Esta situação tem trazido consequências diretas na questão da frequência escolar, principalmente nos primeiros passos (creches). Neste estudo preparado para o Fórum Paraense pela Erradicação do Trabalho Infantil composto de 41 entidades, o Dieese/PA aborda estes e outros temas sobre o trabalho infantil de crianças e adolescentes no Pará e nas grandes regiões do país. Para elaborar este estudo o Dieese utilizou informações do próprio Dieese, da PNAD-IBGE/2008 e Indicadores Sociais do IBGE/2009. NúmerosO estudo elaborado pelo Dieese mostra que em todo o Brasil a população residente de 5 a 17 anos soma 43.629.078 crianças e adolescentes. Destas 15.777.253 têm idade de 5 a 9 anos; 17.562.201 têm idade de 10 a 14 anos e com idade de 15 a 17 anos temos 10.289.624 crianças e adolescentes. Já o número de crianças e adolescentes ocupados entre 5 a 17 anos de idade alcança 4.452.301 pessoas, isto quer dizer que 10,20% de crianças e adolescentes residentes no país, estão ocupados. Na região Norte da população residente total de crianças e adolescentes (4.362.165), 10,34% estão trabalhando. No Pará, a população doa 2.103.482 de jovens 11,42% estão ocupadas.

Amanhã, dia 13 de julho, o Estatuto da Criança e Adolescente (ECA) completa 20 anos em meio a polêmicas. Para muitos o Estatuto trouxe de fato proteção e garantias para crianças e adolescentes, para outros nem tanto, mas todos concordam com a sua importância. Na prática um dos problemas sérios do dia a dia continua a ser enfrentado, mas está longe de ter uma solução: o trabalho infantil de crianças e adolescentes.

Fruto do trabalho de centenas de entidades, de milhares de pessoas e de algumas políticas públicas, o trabalho infantil tem diminuído nos últimos anos, não só no Pará, mas também na região Norte e em todo o Brasil. Mesmo assim, o número de crianças e adolescentes que ainda estão trabalhando, muitas das vezes sem nenhum tipo de remuneração ainda é muito grande.

Mesmo com o ECA em vigor, vários fatores têm contribuído para que muitas crianças continuem ocupadas em vez de estarem estudando, entre eles a falta de emprego para os pais e a baixa remuneração das famílias que detêm menores.

No caso do Pará e de toda a região Norte, além da questão do emprego, outro agravante que chama atenção, é o baixo rendimento das famílias que detém crianças com idade até 14 anos. Esta situação tem trazido consequências diretas na questão da frequência escolar, principalmente nos primeiros passos (creches).

Neste estudo preparado para o Fórum Paraense pela Erradicação do Trabalho Infantil composto de 41 entidades, o Dieese/PA aborda estes e outros temas sobre o trabalho infantil de crianças e adolescentes no Pará e nas grandes regiões do país. Para elaborar este estudo o Dieese utilizou informações do próprio Dieese, da PNAD-IBGE/2008 e Indicadores Sociais do IBGE/2009.

Números
O estudo elaborado pelo Dieese mostra que em todo o Brasil a população residente de 5 a 17 anos soma 43.629.078 crianças e adolescentes. Destas 15.777.253 têm idade de 5 a 9 anos; 17.562.201 têm idade de 10 a 14 anos e com idade de 15 a 17 anos temos 10.289.624 crianças e adolescentes. Já o número de crianças e adolescentes ocupados entre 5 a 17 anos de idade alcança 4.452.301 pessoas, isto quer dizer que 10,20% de crianças e adolescentes residentes no país, estão ocupados.

Na região Norte da população residente total de crianças e adolescentes (4.362.165), 10,34% estão trabalhando. No Pará, a população doa 2.103.482 de jovens 11,42% estão ocupadas.


Apoie a Repórter Brasil

saiba como

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *