A Repórter Brasil está sob censura judicial desde o dia 9 de outubro de 2015. Saiba mais.

Cosan faz acordo de R$ 900 mil com MPT por trabalho irregular

O Ministério Público do Trabalho (MPT) informou hoje que o Grupo Cosan, maior empresa sucroalcooleira do País, firmou um acordo no qual se compromete a doar R$ 909 mil em bens de consumo para 23 entidades assistenciais dos municípios paulista de Piracicaba e Capivari. O valor é uma alternativa à multa por descumprimento de Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), assinado em 2006, no qual a empresa tinha se comprometido a corrigir irregularidades trabalhistas no corte de cana-de-açúcar. No entanto, segundo o MPT, a fiscalização do trabalho apurou o descumprimento parcial do TAC em propriedades na região de Piracicaba. Os procuradores Mário Antônio Gomes, Cássio Dalla-Déa e José Fernando Ruiz Maturana, do MPT, responsáveis pelo procedimento, deram até 60 dias para que a Cosan efetue as doações, de ambulâncias, automóveis, computadores, impressoras, equipamentos hospitalares, entre outros. Pela quantidade de entidades beneficiadas, a empresa poderá pedir prazo suplementar para o cumprimento, caso haja necessidade. A Cosan informou, por meio de nota, que mantém negociações com o Ministério do Trabalho referentes ao TAC firmado em 2006, e confirmou o acordo realizado com o MPT. A companhia garantiu que realizará as doações no prazo acordado, em linha com as necessidades das instituições atendidas, mas não admitiu a violação do TAC. "A Cosan informa que a celebração deste acordo não implica em reconhecimento de violação aos termos do TAC", concluiu a companhia.

O Ministério Público do Trabalho (MPT) informou hoje que o Grupo Cosan, maior empresa sucroalcooleira do País, firmou um acordo no qual se compromete a doar R$ 909 mil em bens de consumo para 23 entidades assistenciais dos municípios paulista de Piracicaba e Capivari.

O valor é uma alternativa à multa por descumprimento de Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), assinado em 2006, no qual a empresa tinha se comprometido a corrigir irregularidades trabalhistas no corte de cana-de-açúcar.

No entanto, segundo o MPT, a fiscalização do trabalho apurou o descumprimento parcial do TAC em propriedades na região de Piracicaba. Os procuradores Mário Antônio Gomes, Cássio Dalla-Déa e José Fernando Ruiz Maturana, do MPT, responsáveis pelo procedimento, deram até 60 dias para que a Cosan efetue as doações, de ambulâncias, automóveis, computadores, impressoras, equipamentos hospitalares, entre outros. Pela quantidade de entidades beneficiadas, a empresa poderá pedir prazo suplementar para o cumprimento, caso haja necessidade.

A Cosan informou, por meio de nota, que mantém negociações com o Ministério do Trabalho referentes ao TAC firmado em 2006, e confirmou o acordo realizado com o MPT. A companhia garantiu que realizará as doações no prazo acordado, em linha com as necessidades das instituições atendidas, mas não admitiu a violação do TAC. "A Cosan informa que a celebração deste acordo não implica em reconhecimento de violação aos termos do TAC", concluiu a companhia.


Apoie a Repórter Brasil

saiba como

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *