A Repórter Brasil está sob censura judicial desde o dia 9 de outubro de 2015. Saiba mais.

Convocação de rádios que retransmitem o Vozes da Liberdade

A Repórter Brasil está fazendo o recadastramento de veículos de comunicação que retransmitem ou utilizam regularmente o conteúdo do programa semanal de rádio Vozes da Liberdade. Contamos com a colaboração de todos

Para estreitar as relações com outros meios de comunicação parceiros em todo o teritório nacional, a Repórter Brasil lança uma convocatória de recadastramento das rádios que utilizam o Programa Vozes da Liberdade.

Solicitamos que os veículos que reproduzem ou aproveitam de alguma forma do conteúdo semanal de rádio preencham um breve formulário e enviem os seguintes dados para o e-mail bianca@reporterbrasil.org.br:

– Contatos (nome do veículo, frequência, nome dos responsáveis, números de telefone, endereço, site, e-mails etc.)

– Há quanto tempo e com que periodicidade retransmite o Vozes da Liberdade?

– Qual é a natureza (comunitária, educativa, privada, pública, estatal etc.), o público e a abrangência da rádio?

– Há registro de retorno dos ouvintes? Em que medida o Vozes da Liberdade é relevante para o conjunto da grade do veículo?

– Teria alguma crítica ou sugestão para dar ao programa semanal?

Desde já, agradecemos,

Equipe de Jornalismo da Repórter Brasil


Apoie a Repórter Brasil

saiba como

1 Comentário

  1. Antônio Carlos Drummond Monteiro de Castro

    Sr@s: eu não sou jornalista nem radialista. No entanto, gostaria de sugerir a inclusão de um verso de Cecília Meireles em sua obra “Romanceiro da Inconfidência”: “Liberdade é uma palavra que o sonho alimenta, não há ninguém explique e ninnguém que não entenda.”
    Talvez, somente a “felicidade pública” – de que falavam os pais fundadores dos EUA ou algo semelhante que os seus congênres franceses se referiam – conseguia dar conta deste mistério – dos representantes públicosde discutirem, deliberaemr e decidirem o destino de um povo.
    abraços a todos nessa empreitada.

    Responder

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *