A Repórter Brasil está sob censura judicial desde o dia 9 de outubro de 2015. Saiba mais.

Empresa ligada à Nike acusada de exploração

Patrocinadora da Seleção Brasileira, Nike tem fornecedor acusado de explorar mão-de-obra Fornecedora de material esportivo da Seleção Brasileira e principal multinacional do setor, a Nike está entre algumas empresas beneficiadas por um fornecedor acusado de explorar o trabalho de operários no Nordeste. O LANCE! comprovou que, para cumprirem as metas de produção, os trabalhadores são forçados a aceitar uma jornada de até 15 horas diárias, sem remuneração extra, em Quixeramobim, no Ceará. Muitos chegam a ter problemas de saúde. A Cooperativa de Calçados Quixeramobim (Cocalqui) foi criada em 1996 para ofertar mão-de-obra a Calçados Aniger Ltda, que tem sede em Campo Bom, Rio Grande do Sul. Na ocasião, a empresa gaúcha recebeu incentivos fiscais públicos estaduais para abrir uma filial no interior do Ceará. Nas ruas de Quixeramobim, a fama das condições de trabalho na fábrica não é das melhores. O medo de perder a ocupação força os operários a se recusarem a falar. Só comentaram o assunto sob a condição de não serem identificados. – Temos de trabalhar, não tem jeito – frisou um dos cerca de 3.500 operários da Cocalqui. Só no galpão responsável pela finalização dos produtos da Nike estão alocadas 1.200 pessoas. O presidente da cooperativa Alexandre Lima admitiu os problemas e salientou que tanto a Cocalqui quanto a Nike buscam soluações para minimizá-los. – Nossa produção é dimensionada em 44 horas de trabalho, em cima dos dias da semana: 8,8 horas diárias – disse Lima. Mas seria uma mentira se eu falasse que a gente trabalha sempre dentro do limite. Lima salientou que se houve um excesso de exploração da mão-de-obra, foi porque ocorreram problemas em algum setor da produção. Sem abandonar o discurso empresarial justificou: "a lei da cooperativa é nua e crua. Cumpriu a meta, recebeu. Quem precisa ficar Em casa é artista plástico, à espera de inspiração". Michel Castelar08/07/2008

Patrocinadora da Seleção Brasileira, Nike tem fornecedor acusado de explorar mão-de-obra

Fornecedora de material esportivo da Seleção Brasileira e principal multinacional do setor, a Nike está entre algumas empresas beneficiadas por um fornecedor acusado de explorar o trabalho de operários no Nordeste. O LANCE! comprovou que, para cumprirem as metas de produção, os trabalhadores são forçados a aceitar uma jornada de até 15 horas diárias, sem remuneração extra, em Quixeramobim, no Ceará. Muitos chegam a ter problemas de saúde.

A Cooperativa de Calçados Quixeramobim (Cocalqui) foi criada em 1996 para ofertar mão-de-obra a Calçados Aniger Ltda, que tem sede em Campo Bom, Rio Grande do Sul. Na ocasião, a empresa gaúcha recebeu incentivos fiscais públicos estaduais para abrir uma filial no interior do Ceará.

Nas ruas de Quixeramobim, a fama das condições de trabalho na fábrica não é das melhores. O medo de perder a ocupação força os operários a se recusarem a falar. Só comentaram o assunto sob a condição de não serem identificados.

– Temos de trabalhar, não tem jeito – frisou um dos cerca de 3.500 operários da Cocalqui. Só no galpão responsável pela finalização dos produtos da Nike estão alocadas 1.200 pessoas.

O presidente da cooperativa Alexandre Lima admitiu os problemas e salientou que tanto a Cocalqui quanto a Nike buscam soluações para minimizá-los.

– Nossa produção é dimensionada em 44 horas de trabalho, em cima dos dias da semana: 8,8 horas diárias – disse Lima. Mas seria uma mentira se eu falasse que a gente trabalha sempre dentro do limite.

Lima salientou que se houve um excesso de exploração da mão-de-obra, foi porque ocorreram problemas em algum setor da produção.

Sem abandonar o discurso empresarial justificou: "a lei da cooperativa é nua e crua. Cumpriu a meta, recebeu. Quem precisa ficar Em casa é artista plástico, à espera de inspiração".

Michel Castelar
08/07/2008


Apoie a Repórter Brasil

saiba como

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *