A Repórter Brasil está sob censura judicial desde o dia 9 de outubro de 2015. Saiba mais.

Rurais da CUT/SP pedem revogação da MP 410 e repudiam posição da Contag

A Federação da Agricultura Familiar – FAF e a Federação dos Empregados Rurais Assalariados do Estado de São Paulo – FERAESP da CUT/SP, reunidas dias 30 e 31 de janeiro de 2008, em Cajamar/SP, por suas direções em conjunto, avaliando a origem e os efeitos da MP 410 de 28/12/07, resolvem manifestarem-se às instâncias da CUT, do sindicalismo brasileiro e autoridades, o seguinte: 1 – A MP 410 abre caminho para o patronato rural brasileiro precarizar cada vez mais as relações de trabalho, aprofundando a vergonha do Brasil no cenário global, com o desrespeito aos direitos humanos no chamado "AGRONEGÓCIO", especialmente exportador. 2 – Legalizar a falta de registro em CTPS, como quer a MP, sacramenta a fraude contra os trabalhadores rurais, violentando ainda mais os direitos dessa categoria tão sofrida e discriminada historicamente. 3 – Argumentar com a Previdência Social para justificar a MP, não possui fundamento, porque a fraude, a nosso ver, será ainda maior. 4 – Além disso, reprime a cidadania, na medida em que retira dos trabalhadores sua identidade registrada em carteira, tornando possível esse incremento para outras categorias. 5 – A sede de superexploração da agricultura patronal, camuflada de "AGRONEGÓCIO", constitui principal sustentáculo do projeto antidemocrático do latifúndio, bem como daquilo que chamam de competitividade. 6 – Tudo piora muito quando situações como essa, são respaldadas por falsas lideranças de trabalhadores, como ocorre no caso da MP 410, que teve origem e tem sustentação pela CONTAG. 7 – Cabe a todos aqueles que possuem compromisso com a classe trabalhadora, lutar contra essa MP 410 e repudiar o comportamento da CONTAG. 8 – Pedimos a todas as instâncias da CUT, políticos e autoridades, que se juntem nessa causa, em defesa dos trabalhadores. Cajamar, 31 de janeiro de 2008. HENRIQUE DA MOTA BARBOSA PRESIDENTE FAF ELIO NEVESPRESIDENTE FERAESP Voltar para a matéria MP que legaliza temporários sem carteira assinada divide opiniões

A Federação da Agricultura Familiar – FAF e a Federação dos Empregados Rurais Assalariados do Estado de São Paulo – FERAESP da CUT/SP, reunidas dias 30 e 31 de janeiro de 2008, em Cajamar/SP, por suas direções em conjunto, avaliando a origem e os efeitos da MP 410 de 28/12/07, resolvem manifestarem-se às instâncias da CUT, do sindicalismo brasileiro e autoridades, o seguinte:

1 – A MP 410 abre caminho para o patronato rural brasileiro precarizar cada vez mais as relações de trabalho, aprofundando a vergonha do Brasil no cenário global, com o desrespeito aos direitos humanos no chamado "AGRONEGÓCIO", especialmente exportador.

2 – Legalizar a falta de registro em CTPS, como quer a MP, sacramenta a fraude contra os trabalhadores rurais, violentando ainda mais os direitos dessa categoria tão sofrida e discriminada historicamente.

3 – Argumentar com a Previdência Social para justificar a MP, não possui fundamento, porque a fraude, a nosso ver, será ainda maior.

4 – Além disso, reprime a cidadania, na medida em que retira dos trabalhadores sua identidade registrada em carteira, tornando possível esse incremento para outras categorias.

5 – A sede de superexploração da agricultura patronal, camuflada de "AGRONEGÓCIO", constitui principal sustentáculo do projeto antidemocrático do latifúndio, bem como daquilo que chamam de competitividade.

6 – Tudo piora muito quando situações como essa, são respaldadas por falsas lideranças de trabalhadores, como ocorre no caso da MP 410, que teve origem e tem sustentação pela CONTAG.

7 – Cabe a todos aqueles que possuem compromisso com a classe trabalhadora, lutar contra essa MP 410 e repudiar o comportamento da CONTAG.

8 – Pedimos a todas as instâncias da CUT, políticos e autoridades, que se juntem nessa causa, em defesa dos trabalhadores.

Cajamar, 31 de janeiro de 2008.

HENRIQUE DA MOTA BARBOSA
PRESIDENTE FAF

ELIO NEVES
PRESIDENTE FERAESP

Voltar para a matéria MP que legaliza temporários sem carteira assinada divide opiniões


Apoie a Repórter Brasil

saiba como

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *